ANACÁ – Cafés Especiais da Mantiqueira de Minas

  • Ave anacã em um galho com ramos de café cheios de frutos maduros nas cores vermelho e amarelo, Ave anacã em um galho com ramos de café cheios de frutos maduros nas cores vermelho e amarelo e flores brancas, fundo branco

A ANACÁ trabalha com cafés especiais da Mantiqueira de Minas, todos os grãos são de produção familiar e vem direto do produtor.

Compartilhando dos mesmos valores, respeito e admiração pelo produtor, conservação e cuidado com a natureza, inspiração e lealdade aos consumidores e orgulho das nossas ancestralidades, nasceu ANACÁ.

O nome da marca teve origem na língua materna do Brasil, o Tupi-guarani e é também a denominação de uma ave da floresta amazônica que expressa as cores vibrantes presentes nas árvores de café.

É com muito amor que construímos esse legado!

Cafés disponíveis

Você sabia que nossos lotes de café foram nomeados de acordo com os numerais em Tupi-Guarani? Conheça um pouco sobre eles: Peteĩ, Mokõi e Mbohapy.

Nesses 3 lotes são utilizados os mesmos grãos do Sítio Jacarandá, Bourbons Amarelos e Vermelhos. A diferença sensorial acontece no momento da torra, onde cada mestre de torra ressalta uma característica.

Peteĩ (“um” em Tupi-Guarani)

Torrefação: Grandpa Joel’s Coffee, Santa Rita do Sapucaí/MG. O mestre de torra Pedro trás uma torra média, cor de chocolate ao leite, que acentuou o sabor caramelo e realçou a doçura dos grãos, proporcionando uma bebida mais suave.

Comprar cafés PETEI →

Mokõi (“dois” em Tupi-Guarani)

Torrefação: Casa Baldoni, São José do Alegre/MG. O mestre de torra Rogério trás uma torra média, cor de chocolate, que realçou as notas de chocolate e mais corpo para a bebida.

Comprar cafés MOKÕI →

Mbohapy (“três” em Tupi-Guarani)

Torrefação: Cafetelier, Santa Rita do Sapucaí/MG. A mestre de torra Anna trás uma torra média, que acentuou o sabor de cacau e castanha, apresentando acidez e doçura equilibrada para a bebida.

Comprar cafés MBOYHAPY →

Quem somos

DNA da marca

Compartilhando dos mesmos valores, respeito e admiração pelo produtor, conservação e cuidado com a natureza, inspiração e lealdade aos consumidores e orgulho das nossas ancestralidades, nasceu Anacá.

Nosso manifesto

Ilustração em nanquim de um ramo de café com frutos e flores
Ilustração em nanquim de um ramo de café com frutos e flores (nanquim exclusivo da marca).

Respeito e admiração pelo produtor, dando suporte e pagando um preço justo pelo produto.

Conservação e cuidado com a natureza que nos oferece os frutos do café, adequação dos nossos fornecedores à cartilha de sustentabilidade do café.

Inspiração e lealdade aos consumidores, oferecendo um produto de qualidade, contando a sua história desde a origem, motivando-o a desfrutar dos sabores e aromas da bebida.

Orgulho das nossas ancestralidades, de ser uma empresa fundada por mulheres, de trabalhar com um dos principais produtos do Brasil e presente no dia a dia dos brasileiros, orgulho das nossas florestas, fauna e flora e do nosso clima tropical que favorece tanto o cultivo dessa bebida amada por muitos.

Fundadoras

Ana Eliza Costa, co-fundadora

Ana Eliza Costa é filha e neta de cafeicultor, mineira de Cachoeira de Minas, Engenheira de Bioprocessos com experiência em exportação, negócios internacionais, marketing e inteligência comercial, com atuação em multinacionais do setor alimentício.

Camila Campolina, co-fundadora

Camila Campolina é mineira de Pará de Minas, Engenheira Ambiental, especialista em Projetos Sustentáveis com experiência em gestão de projetos, sustentabilidade, regularização ambiental e atividades agrossilvipastoris, com atuação em grandes empresas do setor público, privado e terceiro setor.